Archives mensuelles : février 2021

Algumas conversas sobre excertos vistos

Sobre excerto de Primavera Tardia (Ozu)

O homem descasca a maçã de uma forma muita lenta, muito cuidada e depois fica a olhar para a maçã. Parece um ritual. Quando se descasca uma maçã normalmente não o fazemos assim e quando a acabamos de descascar não ficamos a olhar para ela. Ele está sozinho e quando não se tem nada para fazer isso faz com que as tarefas mais simples se tornem mais delicadas, não as realizamos de forma automática como quando estamos dentro da rotina. Os gestos dele transmitem uma grande solidão. O silêncio e a música, triste, acrescentam também um peso que estes gestos não teriam se houvesse barulhos a distrair.

 

about the excerpt from Late Spring (Ozu)

The man peels the apple very slowly, very carefully and then looks at the apple. It looks like a ritual. When you peel an apple you usually don’t do it like that, and when you have just peeled it, you don’t just look at it. He is alone and when you have nothing to do that makes the simplest tasks become more delicate, you don’t perform them automatically as when you are within the routine. His gestures convey great loneliness. Silence and sad music also add a weight that these gestures would not have if there were distracting noises.


sobre excerto de Uma Pedra no Bolso (Pinto)

No primeiro plano o personagem mais velho e a conversa dominam tudo, quase não    damos pelo rapaz. Depois passamos a um plano mais aproximado do rapaz e passamos só a ouvir uma música de tambores que vai criando cada vez mais tensão. O rapaz demora muito tempo a matar o peixe e nós só vemos a cara dele – só o balanço do barco nos faz ver, de vez em quando, a faca e um bocado do peixe – a expressão dele, como é difícil para ele matar o peixe.

 

about the excerpt from Uma Pedra no Bolso (Pinto)

In the first shot everything is dominated by the older character and the conversation, we hardly notice the boy. Then we move to a closer shot to the boy and just listen to a drum music that creates more and more tension. The boy takes a long time to kill the fish and we only see his face – only the rocking of the boat makes us see, from time to time, the knife and a piece of the fish – his expression, how difficult it is for him to kill the fish.

Catégorie : En classe, Films vus | Laisser un commentaire

Conversas em torno de excertos vistos em aula

transformação plástica – espelhos

Em Je rentre à la maison  (Oliveira) o foco é fixo e no centro do plano está o velho com uma expressão de tristeza. Apesar de só vermos o reflexo percebemos o espaço onde a cena se passa – vemos o fim do espelho e podíamos estar ali num canto da sala a ver – e reconhecemo-la. A caracterização está ligada a um resultado final: sabemos que vai haver uma transformação e ficamos a observar.  Estamos perante um espelho na vertical e o espelho serve a sua função de refletir. Em Comédia de Deus (Monteiro) o espelho aparece inesperadamente na horizontal, ocupa o plano todo, e a rapariga aparece refletida ao contrário. Está do lado de lá. O plano começa com uma abertura, uma revelação: uma mesa de espelho com berlindes e também a rapariga que olha e brinca com eles. O foco alterna entre as mãos e os berlindes e a cara dela. O primeiro parece desligado da personagem, como um universo à parte onde ficamos hipnotizados e contemplativos, no segundo ligamo-nos à emoção da personagem e é como se descêssemos ao real e entrássemos na história.

plastical transformation – mirrors

In Je rentre à la maison (Oliveira) the focus is fixed and in the center of the shot there is the old man with an expression of sadness. Although we only see the reflection, we perceive the space where the scene takes place – we see the end of the mirror and we could be there in a corner of the room to see – and we recognize it. The characterization is linked to a final result: we know that there will be a transformation and we are watching. We are facing a vertical mirror and the mirror serves its function of reflecting. In Comédia de Deus (Monteiro) the mirror unexpectedly appears horizontally, occupies the entire shot, and the girl appears reflected in reverse. It’s on the other side. The shot starts with an opening, a revelation: a mirror table with marbles and also the girl who looks and plays with it. The focus alternates between her hands and marbles and her face. The first seems disconnected from the character, like a universe apart where we are hypnotized and contemplative, in the second we connect to the character’s emotions and it is as if we descended into reality and entered the story.


sobre o plano sequência de A sede do mal (Welles)

O movimento do plano acompanha o ritmo dos acontecimentos, e como é um plano sem cortes acompanhamos diretamente as coisas que estão a acontecer. Esta continuidade relaciona tudo com tudo.

O ritmo da câmara é muito fluido, mas o que filma é muito caótico – pessoas e carros a passarem, a atravessarem de um lado para o outro, a pararem, a música. Isso contrasta com o ritmo padrão do tic-tac da bomba que não ouvimos, mas sabemos que está lá. Isso cria uma tensão. O plano começa logo com suspense, com a bomba a ser ativada e ao longo de todo o plano estamos à espera que ela exploda, mas a câmara está sempre a perder de vista o carro e às tantas começa a seguir o casal e quando quase já nos esquecemos há aquela mulher que diz que não pára de ouvir um tic-tac, e finalmente, quando o casal se beija, ouve-se a explosão.

on the long take of  Touch of Evil (Welles)

The movement of the shot follows the pace of events, and as it is an uncut shot, we directly follow the things that are happening. This continuity links everything to everything.

The camera’s rhythm is very fluid, but what it’s filming is very chaotic – people and cars passing by, crossing from side to side and stopping, the music. This contrasts with the standard ticking rhythm of the bomb that we don’t hear but know is there. This creates tension. The plan immediately starts with suspense, with the bomb being activated and throughout the shot we are waiting for it to explode, but the camera is always losing sight of the car and it starts to follow the couple, and when we almost already forgot, there is that woman who says she doesn’t stop listening to a tic-tac, and finally, when the couple kisses, the explosion is heard.

   


 

sobre excerto de O Homem sem passado (Kaurismaki)

Há uma grande fila e todos vão avançando ao mesmo ritmo, tiram o pão, tiram a colher e de repente o homem vê a mulher e a mulher fica a olhar para ele e ele para ela e temos a sensação que o tempo parou, porque os planos ficam mais longos e olhar prolonga-se mas na fila ninguém protesta.

about film excerpt from The Man without a past (Kaurismaki)

There is a long line and everyone is advancing at the same pace, they take out the bread, take out the spoon and suddenly the man sees the woman and the woman looks at him and he looks at her and we have the feeling that time has stopped, because shoots get longer and the gaze goes on but nobody protests in line.

 

Catégorie : En classe, Films vus | Laisser un commentaire

Snapshots from our transformation videos…

Laisser un commentaire

Captation de temps par LENA

https://vimeo.com/511940897/9c63100f1e

Catégorie : Exercice 1, Exercices | Laisser un commentaire

TOURNAGE en classe

   

Aujourd’hui, place à la pratique ! Tournage en classe du suspens temporel et de la transformation plastique.

Catégorie : En classe, Exercice 1, Exercices | Laisser un commentaire

Captation du temps proposé par Simon

Catégorie : Exercice 1 | Laisser un commentaire

Transformation plastique proposée par Lyam

Catégorie : Exercice 1 | Laisser un commentaire

Transformation plastique propose par Ysaline

Catégorie : Exercice 1 | Laisser un commentaire

Rodagem do primeiro exercício

Depois de separarmo-nos em grupos e pensarmos sobre os temas do primeiro exercício, fomos filmar: 1. uma captação de tempo; 2. uma tensão dinâmica ligada à duração do plano; 3. uma transformação plástica no plano.

After being separated into groups and thinking about the themes of the first exercise, we went on to film: 1. a record of time; 2. a dynamic tension linked to the duration of the shot;  3. a physical/plastical transformation in the shot.

Our first film shooting exercise!

Aline Lima

Eu gostei de ter essa experiência e dos filmes. Gostei de participar e voltaria a fazer. Participei como realizadora, nunca tinha feito algo igual mas foi bom, aprendi muito e espero participar mais para aprender mais.

I enjoyed having that experience and the movies. I enjoyed participating and would do it again. I participated as a director, I had never done anything like it but it was good, I learned a lot and I hope to participate more to learn more.


Alexandre Lopes

Gostei da experiência, seria interessante gravar mais e melhor. Foi interessante também aprender sobre os aparelhos profissionais, eu não sabia trabalhar, talvez agora me safasse a filmar ou a captar som. De momento não tenho ideias para futuros projectos que se possam realizar, mas de certeza que são muitas as ideias.

Sendo sincero, gostei de tudo o que fiz.

I enjoyed the experience, it would be interesting to record more and better. It was also interesting to learn about professional devices, I didn’t know how to work, maybe now I would get away with filming or recording sound. At the moment I have no ideas for future projects that can be carried out, but certainly there are many ideas.

To be honest, I liked everything I did.

Ivanoel Cafú

Eu gostei, aprendi diversas coisas, gostei mais de mexer na câmara, aprendi a mexer na câmara.

I liked it, I learned several things, I liked to use the camera more, I learned to use the camera.

Diogo Casemiro

Eu gostei de trabalhar com os meus amigos e também gostei de trabalhar com os equipamentos.

I enjoyed working with my friends and I also enjoyed working with the equipment.


Rafael Jesus

Eu adorei o exercício que fiz pois despertei um grande interesse por filmes e pela forma como são realizados. Eu espero que possa voltar a fazer um filme outra vez.

I loved the exercise I did because it sparked a great interest in films and because of the discovery of how they are made. I hope I can make a movie again.

Sara Delgado

Apesar de já ter tido uma experiência como esta, gostei de repetir. Achei mais interessante da forma que realizaram e empenharam-se no filme. No futuro gostaria de ser actriz ou câmara.

Despite having already had an experience like this, I would like to repeat. I found it more interesting in the way they performed and engaged in the film. In the future I would like to be an actress or a câmera operator.

Inara Martins

Gostei muito desta nova experiência e foi bom trabalhar com os meus colegas. Na prática não foi muito difícil, da próxima vez eu quero trabalhar com o som, mas também gostaria de aprender a trabalhar com a câmara.

I really enjoyed this new experience and it was good to work with my colleagues. In practice it was not very difficult, next time I want to work with the sound, but I would also like to learn to work with the camera.


Bárbara Martinho

Eu gostei desta experiência, foi uma coisa diferente e única, gostei de aprender a realizar um filme. Também gostei de trabalhar com os meus colegas, mal posso esperar pela próxima vez.

I liked this experience, it was a different and unique thing, I enjoyed learning to make a film. I also enjoyed working with my colleagues, I can’t wait for the next time.

Francelina Catambi

Foi uma experiência nova pois nunca tinha trabalhado com dois dos meus colegas e, apesar do esforço para os convencer a fazer o papel, acabou por dar tudo certo e vimos que eles têm muito jeito para actores, apesar da vergonha.

It was a new experience because I had never worked with two of my colleague. Despite the effort to convince them to play the part, it turned out all right and we saw that they have a lot of talent for actors, although the shame.


Bruna Alexandra

Eu gostei muito de trabalhar com os cineastas, aprendi algumas coisas.

Para quem apenas vê, pensa que é só chegar e gravar, mas não! Tivemos que ter atenção ao som, pensar no que gravar, etc. A parte que eu achei mais difícil foi a parte da criatividade. Mas amei gravar os filmes, foi uma experiência boa.

I really enjoyed working with the filmmakers, I learned a few things.

For those who just see it, think it’s just to come and record, but no! We had to pay attention to the sound, think about what to record, etc. The part that I found most difficult was the creativity part. But I loved recording the films, it was a good experience.

Catégorie : Exercice 1, Exercices | Laisser un commentaire

Visionamento de excertos

Nossa turma a visionar excertos em sala de aula!

Our class watching some film excerpts!

Nos assistimos ao excerto do filme Vou para Casa, do Manoel De Oliveira.

We watched the excerpt from the film I’m Going Home, by Manoel De Oliveira

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Assistimos ao filme Alumbramiento, do Víctor Erice.

We watched the the film Alumbramiento, by Víctor Erice.

E também assistimos a alguns filmes dos Irmãos Lumiere.

And We also watched some films by the Lumiere Brothers.

Catégorie : En classe, Films vus | Laisser un commentaire